quarta-feira, 1 de outubro de 2008

September

Hello!

A data de domingo foi “muito especial” para jogadores de Resident Evil 3. Eu gosto muito de pensar que tudo que acontece numa história acontece em um determinado dia do ano, num certo mês, numa certa estação. Isso é uma questão de lógica. E quando começamos a jogar, na introdução a personagem principal diz mais ou menos o seguinte: “September 28 th. Daylight. The monsters have overtaken the city. Somehow... I still alive.” É a data em que acontece todo o caos, toda a destruição de Raccon City. 28 de Setembro. Ano passado, eu lembrei de jogar só pra ter a “emoção” de falar “Ohhh! É hoje que está acontecendo isso! Que legaaaal!” ¬.¬ Fala sério... ^^ Eu também queria jogar este ano, mas não pude.

O motivo? Fui finalmente para Ribeirão do Pinhal. Apesar de o pneu do ônibus ter estourado na hora de ir pra Londrina, a viagem foi tranqüila. Saí de Arapongas às 14:20, e desci na rodoviária de Ribeirão às 19:30 hs. Voltei no domingo às 18:00, e entrei em casa as 23:00 hs em ponto. Lá foi tudo de bom, deu pra matar a saudade, e tal, mas no fim... Saiba que sempre estará no meu coração. E como dissemos numa conversa, quem sabe o que o futuro nos preparou? Quais os planos de Deus pra nós? Quem sabe...

Mas mudando de assunto, vou falar agora sobre um site que encontrei que me faz rir bastante: o CDZ Comics! Este site está aqui do lado, nos links. São tirinhas dos Cavaleiros do Zodíaco, que realmente são bem engraçadas. Claro que algumas delas é preciso saber um pouco a mais sobre o universo de Saint Seiya além de saber o nome de meia dúzia de Cavaleiros de Ouro, ou pelo menos mais dois de prata e bronze, além do “Quinteto”. Mas eu gosto, e me perdi um pouco agora lendo as tirinhas do site. São muito simples, feitas no Corel Draw, mas sabem tirar um riso do leitor. Eu recomendo.

E tem algumas semanas que encontrei na Net um livro gratuito que se chama “Um Tal Jesus”, e foi escrito por um casal de irmãos na República Dominicana, e fez muito sucesso entre grupos de jovens. Quando comecei a ler, fiquei espantado com o modo que é mostrado Jesus, e até mesmo Maria. Eles são mostrados como “gente de verdade”, pessoas que trabalham, se preocupam um com o outro, e até brincam. Após cada capítulo, há uma série de explicações com linguagem muito simples, que aproxima o texto Bíblico e a narração. Muito legal. E os milagres acontecem de modo natural, e Jesus não parece ser tão distante quanto parece na Bíblia. As vezes, parece que tudo que é narrado nos Evangelhos acontece de modo totalmente ‘seco’, como um tapa na cara. Mas no texto é tudo tão natural que dá um outro gosto, uma outra cor à passagem, mas sem que esta perca sua riqueza e a majestade de Jesus. Aliás, na narração as vezes ele é chamado de Moreno, e nos parece estranho, por estarmos acostumados com um Jesus de pele clara e olhos azuis. Um Jesus muito “europeu”, e distante da realidade de um Nazareno. Lá era uma cidade pequena, esquecida no meio das pedras, e todo mundo tinha que ralar muito pra se sustentar. Natanael até pergunta se “Pode, porventura, vir coisa boa de Nazaré?” (João 1, 46). E é difícil imaginar um carpinteiro (afinal ele herdou a profissão do pai José) como o Jesus de olhos azuis, pele clara e perfeito que vemos nos filmes e pinturas. Ele trabalhou muito e certamente os pregos perfuraram uma mão calejada na cruz, e não uma mão lisinha de quem não trabalhava. Texto muito bom e recomendado.

Ah! É até legal ver quando ele encontra Maria Madalena lá no deserto com João, pois ela precisava se sustentar e foi lá no deserto pra “oferecer seus serviços”, pois muita gente passava dias e noites lá, como Jesus, Pedro, Tiago, João, André, Felipe e Natanael. Ficaram lá uns três ou quatro dias pensando se iam se batizar ou não, e no que poderiam fazer depois disso, a fim de poderem preparar o caminho do Messias. Em seguida Jesus foi pro deserto por estar com muitos pensamentos confusos, pois ele sentia o chamado de Deus, mas se retirou por quarenta dias pra meditar sobre isso. E sobre Maria Madalena de novo, eles ficam amigos, e depois em Magdala ele vai visita-la em casa, e ela fica surpresa por ele querer simplesmente visita-la, pra cumprimenta-la, e não ter ido em busca de seus serviços. Legal.

Por hoje é só. Fui!


"Tem um anjo aqui, que intercede por ti..."

Um comentário:

Inugami disse...

Muito pra ouvir de vc, velho amigo...
Pra complementar: Lindo casal.

Abraço